Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



ESPERANÇA

por Keila, a Loba, em 27.12.05
A mitologia conta que a origem da raça humana teve um início tão paradisíaco em paz e abundância quanto em paisagens naturais e tranqüilidade. Para dar uma remexida em tão perfeita harmonia, Zeus presenteou Pandora com uma caixa de segredos por suas núpcias com Epitemeu e, por curiosidade, Pandora abriu o presente sem o consentimento oportuno do deus grego. Da caixa, infelizmente, escaparam todas as desgraças que temos notícias: tristezas, mortes, fome, misérias, guerras, sofrimento, angústias, doenças... e estas ganharam o mundo e se infiltraram entre as pessoas. Somente a esperança ficou presa às bordas da caixa. Tão logo Pandora percebeu o erro cometido pela sua curiosidade e desobediência, tratou de fechar a tampa da caixa às pressas. Mas o estrago já havia sido feito. Significativamente, a noiva desastrada, Pandora, se constrói por uma seqüência de Pan = todo + dóron = presente. De acordo com o mito grego, todas as vicissitudes da vida são, em última análise, presentes dos deuses. Os deuses parecem gostar de brincar com os homens e ocultam nas dificuldades da vida cotidiana todas as possibilidades de evolução, espiritualização e crescimento. De acordo com o próprio mito, Zeus manteve a esperança em poder dos homens. Ele sabia que, se a esperança tivesse sido completamente banida da caixa, a humanidade teria encontrado o seu fim. Porém, extinto o homem e suas esperanças, o próprio Zeus, deus dos deuses, estaria perdido, já que alimentar o mito é a dinâmica do viver. A esperança é a virtude que alimenta a alma e confere a esta um quê de imortalidade e eternidade, pois é o arcabouço sutil da nossa estrutura psíquica. Delicada e vital à vida, ela nos salva quando estamos imersos no mais absoluto desespero e, ao mesmo tempo, nos estimula a descobrir a coragem perdida para reagir frente aos inúmeros desafios. Muitas vezes, só uma grande esperança pode nos projetar por sobre os abismos que precisam ser transpostos ao longo da nossa existência. Você saberia avaliar como anda a sua esperança? Para saber a resposta, é importante reconhecer os desafios rotineiros - dificuldades financeiras, busca por um amor, qualidade de vida, motivação, nível de satisfação, espírito de doação, sentimento ou não de completude... - para traçar um perfil mínimo de quem somos e do que precisamos. Penso que a esperança é, entre outras, a responsável pelas tantas - e lindas - amizades que tenho feito aqui, nas páginas da Loba. Vasculhando sites, lendo mensagens e conversando com pessoas, vejo que o universo de internautas procura conhecimento, amores, trabalho, paz, amizades, apenas ser ouvido por alguém, compreensão, justiça, diversão, sexo... A soma de todos esses sentimentos e desejos revela a esperança em alguma coisa, seja ela qual for. A net é o veículo pelo qual uma máquina fria e indiferente responde às ordens programadas de pessoas que, ao final de tudo, querem mesmo é ser feliz. Usei algumas idéias do artigo Simbologia Esotérica, Revista Planeta nº. 389 - 02/2005. Alterações textuais da Loba

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:09

Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

subscrever feeds



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho