Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dimensões do Ser e do Self

por Keila, a Loba, em 02.09.06
Agradeço a generosidade da menina que se tornou uma linda advogada, a Nana, que com sua doçura e encantamento deu aos Uivos da Loba o selo destaque, o qual ostento aqui com muito orgulho. Obrigada, Nana!


destakenana.gif


Estávamos caminhando a algumas horas por entre as matas da íngreme estrada que nos conduziria à Bica do Ipú, atração turística de uma cidadezinha extremamente aconchegante no norte do Ceará. Era impossível não observar a natureza majestosa, seus tons e sobre-tons de verdes, amarelos, dourados e azuis pelo caminho, cores que não ofuscavam os olhos, mas provocavam a desconcertante sensação de que somos “pós de estrelas” como alegam os físicos e místicos da atualidade.

Cada ave que cantava nas galhadas, as folhas que voavam por entre as notas melodiosas do vento, o burburinho da água que caía do alto da bica às pedras, tudo, parecia estar sendo regido por uma força que preenchia todas as células do meu corpo; e me vi tão feliz, tão solta, e pensei na grandeza de Deus.

Por alguns momentos percebi que sabia de algo mais que não tinha o menor ou maior conhecimento minutos antes de ter iniciado a caminhada. O que seria? Sinceramente, não sei dizer, não há palavras para descrever o encontro com o * Numinoso; e essa ausência de palavras me fez lembrar uma frase de D. H. Lawrence, “Não existimos a não ser que, de forma profunda e sensual, estejamos em contato com o que pode ser tocado, mas não conhecido”.

cachoeirahome.gif


Estar assim, sentir-se assim, é permitir “sermos tocados por uma qualidade de ser ou de luz que não depende da simples emoção estética. Não é somente belo como o pôr do sol, como o desfazer-se das brumas na primavera ou a luminosidade bem nítida da papoula no meio dos trigais, mas um momento em que ficamos pregados no chão, abertos ao céu, em total silêncio de si e dos outros”.

O fato é que essa estreita interconexão de todas as coisas é algo experimentado por todas as fibras do nosso corpo. De repente, já não me senti a turista nas terras e águas sagradas do Ipu, mas me percorreu a sensação de ser a própria galáxia aberta e contida no minúsculo espaço-tempo-vida que ocupo como Keila, a Loba. Eu me senti “dentro da paisagem” e não “diante dela”; senti que as árvores, a água, o vento, a majestade da vida e toda a sua imponência servil compuseram comigo. O mundo pareceu-me transfigurado de tal modo que fui tomada por uma alegria transbordante, um estado de ser oceânico em que eu sabia, apenas sabia....

O despertar é um processo inteiro, que exige atenção e contemplação, pois é preciso estar atento e saber que os caminhos do campo, que aparentemente não nos levam a parte alguma, acabam por nos conduzir ao encontro desse outro de nome natureza. Trata-se do deixar ser. Isso é como a primavera: sem por que e para quem.


____________________________

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:03

Pág. 3/3



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

subscrever feeds



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho