Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"A TERRA É PEQUENA, MAS A GENTE QUE VIVE NELA PRECISA APRENDER A UIVAR".

por Keila, a Loba, em 24.05.07
Ganhei esse selinho da Cibele, http://kyaya.weblogger.terra.com.br/, e só hoje vim mostrá-lo aqui. Obrigada e desculpa, amiga.

Image Hosted by ImageShack.us


Ah, o povo brasileiro... Desconheço gente mais simpática, generosa e paciente! Mas tenho medo de que o protesto silencioso dos blogs, das famílias, dos trabalhadores e do povo de uma maneira em geral não seja traduzido em veemente "Chega de Sacanagem!" diante de toda a ladroagem política.

IMORALISTAS, UNI-VOS, ESCANCAREM A PODRIDÃO QUE É A POLÍTICA BRASILEIRA E MANDEM SOLTAR TODOS OS ENVOLVIDOS NO ESCÂNDALO DA OPERAÇÃO NAVALHA.


Image Hosted by ImageShack.us


Uivem por e com raiva, por desprezo aos políticos, com medo.... mas Uivem!

O post de hoje reverencia a doentia paciência brasileira.


"A TERRA É PEQUENA, MAS A GENTE QUE VIVE NELA PRECISA APRENDER A UIVAR".

Temos que começar a uivar, assim como nos incita Saramago em seu ultimo livro. Com certeza, esse uivo nada tem a ver com os lobos da política, mas precisamos agir e uivar como Lobos na defesa da nossa própria dignidade e bem estar.

Esse uivar equivale à consciência individual que falta a todos os políticos-poderosos de uma maneira geral. Chamemos-lhe consciência de si enquanto SER HUMANO, ou aquilo a que corresponde ao que se diz, "Meter a mão na consciência". Mas eles não têm consciência, por isso não podem pôr a mão nela, porque não lhes resta um só fragmento daquilo que tiveram um dia.

Uivar, pois, como os bons Lobos, que por serem bons são perseguidos por caçadores furtivos neste reino anti-humanista putrefato e decadente. Até quando conseguiremos nos safar? Quando todo o povo tiver aprendido a uivar!

É nesse sentido que é preciso uivar, para libertar o Instintivo e abrir as portas do ser Livre e Natural que fomos um dia. Uivar permitirá surgir das profundezas desse homem, já tão perdido de si e ameaçado por seus mais primitivos instintos de ser e poder, alguém que anseia pelo verdadeiro e bom Lobo - o que uiva às estrelas.

Além de premonitória, o apelo ao uivo é o retrato lúcido da nossa realidade nacional, e só os medíocres e imbecis rejeitam a sabedoria dos que tem coragem de admitir que estão roubando de nós a alegria de ser brasileiro. Estão levando o que de mais puro têm o povo: o direito de sonhar.


Image Hosted by ImageShack.us


É preciso repensar as leis, a política e os políticos, assim como todo o processo eleitoral e os eleitores antes que seja tarde demais. Assistimos na televisão a manipulação política dos meios de comunicação, vimos com os cabelos em pé e sem fôlego as manobras da república para se inocentar, mas será que o povo dará suas respostas nas urna? Máscaras? Palavras doces e promessas? Uivos de maus lobos nós os escutamos demais, até que os ouvidos foram se exaurindo e já não suportam esse lenga-lenga medíocre.

A verdade é que já não se trata de políticas nem de partidos, por isso o apelo ao "UIVO, ao invés do Silêncio". Já não se trata de revoluções nem convulsões sociais e ideológicas, mas de uma Revolução das Consciências ao nível individual, e isso é o que tem de extraordinário neste homem que segue a rota da sua lucidez sem se vender a ninguém, no panorama reducionista dos partidos e das ideologias decadentes e ultrapassadas, sejam da direita, sejam da esquerda.


Adaptação do texto de Almeida Garrett

*Alterações Textuais da Loba

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:18

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

subscrever feeds



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho