Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A METÁFORA DO INVISÍVEL VISÍVEL

por Keila, a Loba, em 16.05.08


 

“Todo devir está marcado pela desordem: rupturas, cismas, desvios são as condições de criações, nascimentos, morfogêneses.” (Morin, 2002:99).

1- Tsunami na Ásia deixa 100 mil mortos; 5 milhões de pessoas desamparadas - 12/2004;

2- Invasão americana ao Afeganistão e Iraque: Mentira, arrogância e petróleo - 04/2003;

3- Terremoto de 7,8 graus de magnitude pode ter matado mais de trinta mil chineses - 05/2008;

4- Crise de alimentos ameaça economia e segurança mundial;

5- Doenças erradicadas no Brasil e no mundo ressurgem e fazem milhões de vítimas;

6- A violência urbana e as cenas trágicas comovem o Brasil e o mundo;

7- No Brasil, governo estuda alterações severas que provocarão o fim da CLT;

8- Os 200 homens mais ricos do mundo possuem mais dinheiro que os 2,5 bilhões de pessoas mais pobres da Terra;

9- O planeta em estado febril: Ondas de calor, secas prolongadas, chuvas torrenciais, furacões devastadores, solos inférteis e pobres, queimadas....

10- Escassez de água prenuncia extinção da humanidade;

11- Jovens emocionalmente despreparados ainda mais distantes da realidade: educação exageradamente cognitiva, tecnicista, lógica e perceptiva ao extremo;

12- “Queremos felicidade!!” - crianças, jovens e adultos são eternos dependentes de drogas que combatem "as doenças da alma";

13- Clube Militar da Aeronautica ameaça Lula com "Movimento jamais visto neste país". Dias depois, governo dá aumento de mais de 137% aos militares - 04/2008;

14- O território brasileiro pode ficar sem o Estado de Roraima - 03/2008;

15- Congresso Nacional Brasileiro: Das 261 cadeiras dos 14 colegiados que tratam de questões relacionadas à questão ambiental, 92 estão ocupadas por deputados e senadores ligados ao agronegócio. A estratégia é povoar as comissões de meio ambiente para fragilizar a legislação ambiental.

16- Estamos caminhando para uma quebra mundial das bolsas de valores. Motivos: carência de alimentos, inflação...

17 – Vulcões adormecidos despertam e trazem pânico...


Se enumerassemos milhares de outras informações sobre o tempo, o clima, o comportamento humano, política, economia, religião, filosofia... certamente chegaríamos a conclusão de que vivemos uma crise desencadeada por acontecimentos bombásticos em todos os setores, em todos os países, e vividas por povos em todo o mundo.  Há algo sério, maior, mais profundo e visivelmente mundializado nos acontecendo e ainda não sabemos como nos comportar, como agir imediatamente e sem esperar ajuda institucionalizada para preservar a mágica da vida.


Image Hosted by ImageShack.us


Essas transformações acontecem com incrível rapidez, fazem milhares de vítimas, mobilizam ações humanitárias em obtusos chefes de estado, comovem o mundo e mostram com clareza que o ser humano mudou – e mudou muito. Descobrimos o fogo, a roda, a pólvora; sobrevivemos às eras glaciais; saímos dos campos para as cidades; descobrimos a penicilina; aprendemos a rastrear o universo; surgiram gênios para estudar e mostrar ao mundo as novas descobertas da ciência; desvencilhamo-nos da igreja católica para cair nos tentáculos de outros templos; a disparidade entre classes, povos, países, corporações e recursos disponíveis versus demanda ampliou-se, e nos fez chegar ao caos: precisamos urgentemente de um novo modelo humano.

Nenhum de nós se orgulha de falar e reclamar do governo petista o tempo inteiro – eu sou uma dessas pessoas –, como se a culpa de todas as mazelas fosse exclusiva do governo. Não é. Reconheço que, nesse momento da história, a política brasileira é apenas um dado entre milhões de informações que evidenciam a espetacular e urgente ruptura desse velho e ultrapassado paradigma em que vivemos para compor novas e cuidadosas formas de pensar e agir.

Não foi repentinamente que a natureza passou a ser questão de absoluta relevância em nossas vidas: a Terra está morrendo! Estamos em processo acelerado de extinção porque ainda não aprendemos a ter o necessário. É imoral viver de forma luxuosa e ver outros na mais absoluta miséria, mas como compartilhar alimentos, remédios, algum dinheiro e outras gentilezas com aqueles que passam o dia inteiro nas esquinas sem fazer nada, enquanto eu me mato de trabalhar? O que fazer para ser bom sem ser imbecil? Minha mãe dizia ser necessário olhar nos olhos de alguém antes de esboçar qualquer emoção.

Também não por acaso, percebemos que ser feliz é uma necessidade mais ampla que estar ao lado de alguém. Hoje queremos companheiros que assumam sentimentos e emoções de forma verdadeira, queremos pais que saibam trocar fraldas e cuidar dos filhos, sonhamos com homens que identifiquem imediatamente um novo corte e tingimento de cabelo, que nos digam que estamos gordas, mas nem assim deixamos de ser gostosas, entre outras.


Image Hosted by ImageShack.us


As complicadas relações sociais mostram que ser feliz e solidário faz sucesso, mas é infinitamente mais gostoso ser assim por ser assim mesmo. Nada de máscaras. Na contramão disso, todos conhecemos pessoas que se dizem solidárias e altruístas, mas na rotina dos dias jamais se dedicam a ajudar quem quer que seja. Tudo o que têm parece ser pouco, querem mais e mais, e suas insatisfações permitem que sejam usuárias de medicamentos potentes e caros. Não dão ajuda gratuita, mas tornaram-se dependentes do superficial.

Outra questão importante é a profissão. Milhões de pessoas sonham em exercer uma profissão gratificante, que lhes dê a sensação de estarem fazendo o que gostam, mas é sabido que a realidade é bem diferente do que dizem seus corações. A maior parte dos novos profissionais estudou o tenebroso mercado de trabalho antes do ingresso na universidade, e suas opções basearam-se na possibilidade de um emprego a médio e curto prazos nos cursos tidos por “de mercado garantido”. Conheço pessoas que ganham bem, vivem relativamente bem, mas são depressivas porque não fazem o que gostam. Há coisa mais triste e decepcionante na vida que fazer, diariamente, algo que não te dá o menor prazer?

Esses questionamentos são impossíveis de serem finalizados aqui, com esse post. A questão do novo homem passa por instâncias longínquas e instâncias mais próximas, e tudo esse universo de idas e voltas é compreensível na dimensão inacabada do homem. Se tem amor a si, falta amor ao outro; se tem trabalho, falta-lhe a satisfação de faze-lo; se tem casa, falta-lhe o carro novo, móveis elegantes; se é livre, falta-lhe dinheiro para viagens cada vez mais distantes; se é jovem, falta-lhe a sabedoria dos anos; se é culto, falta-lhe a emoção do sentimento; se é político, precisa ter mais, relacionar-se mais profundamente para ser indicado a cargos mais seletivos; se detesta a noite, o dia traz o calor e o suor; se a vida é pouco prazerosa, a morte finda toda a sua esperança de ser feliz...

Qualquer dia desses, eu sei, haverei de ser uma nova mulher.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:22



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

subscrever feeds



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho