Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



OS PACIENTES DO PROGRAMA REVIVER VISITAM SALVADOR

por Keila, a Loba, em 11.10.09

Em abril de 2007, trabalhando com a metáfora “Voar ao encontro do Senhor para pedir-Lhe a realização do meu sonho”, fizemos uma reunião campal com os pacientes do Programa Reviver, e pedimos para que cada um tornasse público seus sonhos. Estes, prontamente, expuseram de forma emocionada suas mais urgentes necessidades e desejos..

 

Ouvimos os sonhos da casa própria; os sonhos de emprego para filhos e netos; o sonho de um benefício capaz de lhes dar a tranqüilidade de não dever na “bodega”; o sonho que é poder comprar os remédios da “marca que o doutor passou”... mas uma destas expressões nos emocionou profundamente, motivo que nos levou a escrever ofício à Vice-Presidência da República.

 

O nome dele é/era José Augusto Pires, tinha 53 anos, e faleceu em outubro de 2008 após quase três anos de exaustivos combates contra um câncer de intestino que, por fim, tirou-lhe a vida. Augusto esteve em 1983 em Salvador, e gostou tanto de lá que prometeu a si mesmo voltar um dia para rever os lugares por onde passou, segurando a mão de uma namorada baiana. Salvador foi inesquecível porque aquelas ruas e avenidas deixaram caminhar um Augusto que ainda não tinha câncer.

 

<img src="http://img3.imageshack.us/img3/6106/augusto.jpg" alt="Image Hosted by ImageShack.us"/>

 

O sonho de retornar a Salvador, desta vez ao lado da mãe e dos amigos com quem conviveu no Programa Reviver, estava agendado para os dias 17, 18, 19, 20 e 21/10/2007. Três dias antes da viagem solicitada ao Sr. Governador da Bahia, marcada e agendada com os secretários de saúde, turismo, ação social e bombeiros de Salvador, soubemos que não teríamos o ônibus por nós solicitado ao Governo do Estado do Ceará.

 

Augusto Pires, 54 anos; e Leda, com 63 anos, vítimas de câncer de intestino e pulmão, faleceram em outubro de 2008. Eram os mais entusiastas da viagem à Salvador.

 

Em março de 2009 faleceu, de infarto do miocárdio, Raimunda Moreira de Oliveira: 86 anos. Augusto, Lêda e Raimunda, três pessoas que sonhavam com a saúde também conquistada nas estradas da vida.

 

Em 21 de maio de 2009, uma carta endereçada ao Exmo. Sr. Vice-Presidente da República contou as histórias do Augusto, da Lêda e da Raimunda, e também pediu acomodações em Salvador para os 40 pacientes do Programa Reviver: era chegado o momento de  transformar o sonho do Augusto, que também havia se transformado no sonho da Lêda, da Raimunda, e de todos os demais do Programa Reviver,  em uma experiência real e significativa.


<img src="http://img19.imageshack.us/img19/1382/salvador93.jpg" alt="Image Hosted by ImageShack.us"/>

 

<img src="http://img233.imageshack.us/img233/1377/salvador155.jpg" alt="Image Hosted by ImageShack.us"/>

 

<img src="http://img233.imageshack.us/img233/9308/salvador258.jpg" alt="Image Hosted by ImageShack.us"/>

 

<img src="http://img29.imageshack.us/img29/3741/salvador400.jpg" alt="Image Hosted by ImageShack.us"/>

 

<img src="http://img98.imageshack.us/img98/8554/salvador115.jpg" alt="Image Hosted by ImageShack.us"/>

 

<img src="http://img98.imageshack.us/img98/5323/salvador378.jpg" alt="Image Hosted by ImageShack.us"/>

 

 


De acordo com Leloup (1996, P. 174-175), em hebraico, a palavra doença significa andar em círculos, estar fechado e preso em círculos, fechado na conseqüência dos seus atos e identificar-se com os seus sintomas.
Adoecer é um processo que envolve comprometimentos e dimensões físicas, mentais e espirituais, e estas se articulam de forma complexa aos mecanismos emocionais ainda não compreendidos pela ciência.

Adoecer significa abdicar a saúde em conseqüência da quebra na continuidade organísmica interna e externa, permitindo ao doente assumir posturas de “Quem se fechou em um único nível de interpretação simbólica”, (Leloup, 1996, P. 214-215).

 

 

Morre quem não viaja,
não lê,
quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.

Pablo Neruda


QUANDO VIAJAR É O REMÉDIO...

 

 

● Viajar para aprender a re-significar as experiências da vida, sejam boas ou ruins;

● Viajar para encontrar-se consigo mesmo, experimentando novas reações e descobertas frente ao inesperado;

● Viajar para compartilhar com os outros, sejam doentes ou não, mas que eu possa sentir o quanto somos vulneráveis se estivermos sozinhos;

● Viajar para fortalecer os laços com a Divindade, com a vida, com a natureza; viajar para sentir-me uno com todas as formas de vida e de ser.

 


 “A tarefa primordial dos Terapeutas é Cuidar,
já que é a natureza quem cura.
Antes de tudo cuidar do que ainda não é doente em nós,
do Ser, do Sopro, que nos habita e inspira. 

 

    Também cuidar do corpo, templo do Espírito,
cuidar do desejo, reorientando-o para o essencial;
cuidar do imaginal, das grandes imagens arquetípicas que estruturam a nossa consciência, e cuidar do outro,
o serviço à comunidade,
 implicando o próprio centramento do Ser” 

 Jean-Yves Leloup  - Fílon e os Terapeutas de Alexandria, Cuidar do Ser (Editora Vozes)


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:58


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

subscrever feeds



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho