Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



RODRIGO MAZZA RAMOS

por Keila, a Loba, em 16.08.11

 

    Que o Senhor te receba e te acolha nos braços, Rodrigo. 

 

 

 

 

 

Estive ausente dos Uivos por alguns dias, mas a consciência de que teria que vir aqui não me deixava quieta. Esses poucos dias de aparente folga não me permitiram reunir material para uma faxina, tampouco repensar estratégias, rever conceitos e tentar crescer com as experiências - dolorosas - que a vida apronta. Na verdade, ainda me sinto adolescer nessa arte que é saber viver, e nem sei se algum dia poderei enumerar as caracteristicas da minha maturidade abertamente exposta, mas literalmente carente de sabedoria.

 

 

     Ainda emocionada e triste por conta do adeus tão precoce ocorrido hoje pela manhã... No sábado 13/08/2011,  Rodrigo Mazza Ramos, o filho do Pimentel, nosso primo e amigo, partiu precocemente fazendo o que ele mais gostava na vida: pular de paraquedas. Rodrigo compunha um quadro de elite de salvamento da aeronautica, com endereço no Rio de Janeiro, mas a poucos dias haviam se estabelecido em Goiás para formar um pelotão especializado em salvamentos perigosos. Pois é... Ele estava de folga com os amigos e resolveram aproveitar o dia, o vento, a vida, e pularam em um aeroporto particular em Campo Grande. Rodrigo não conseguiu vencer uma rajada fortíssima de vento, o paraquedas principal enroscou nele, o paraquedas reserva não abriu, ele caiu em queda livre em uma cerca de arame farpado e teve multiplos traumatismos.  Os amigos, graças a Deus, completaram o salto sem incidentes, mas o Rodrigo não conseguiu. Era o dia em que ele encontraria cara-a-cara a morte, e nenhum dos pais poderia se interpor a esse encontro, embora que Pimentel e Creuza se colocariam no lugar do filho sem pestanejar. E morreriam felizes por preservar a vida do filho. 

 

 Sem conseguir respirar na presença da Sra. Morte, que usou uma proximidade desconcertante para dizer que ela pode levar os filhos primeiro, e só depois os pais, partilho um pouco dessa dor sufocante, contínua e brutal que vi nos olhos dos pais que perdem seus filhos para ela... E sinto um enorme pesar por não haver siginificado e respostas para esse "Por quê?".

 

 

 

      É muito triste.... O pior do enterro ainda estava por vir, que foi ouvir as cornetas de despedidas tocadas pelos militares, a família e amigos aos prantos, as palavras querendo sair da boca sendo abafadas pelas lágrimas, socorrer o pai desesperado, absolutamente dopado de remédios para o coração e tranquilizantes, que precisou sair desmaiado e de cadeiras de rodas do enterro diretamente para o hospital. A mãe, inconsolável, havia desmaiado várias vezes no sábado e domingo, mas precisou guardar energias para consolar a filha que chorava, se contorcia, e não conseguia ficar de pé de tanta dor e sofrimento. Vendo tudo isso, me perguntei várias vezes, o que nos falta para compreender a vida e a morte, quando "a lição, sabemos de cór; só nos resta aprender".

 

       O que nos ensina o Senhor, quando entramos em rota de colisão com a morte de um filho? Será que esse sofrimento tenta nos dizer que precisamos ser melhores? Que Pai é esse, que abrevia uma vida tão certinha como levava o Rodrigo, nos dizendo que é preciso rever conceitos de vida? Será que é assim mesmo? O fato é que me sinto tão inútil quanto as perguntas que agora faço à morte, pois sei que ficarão sem respostas, e o vazio delas alimentará um profundo silêncio e respeito pelo que não sabemos, mas continuará nos atormentando. Seja como for, registrar as reflexões que a perda desse menino nos provoca é olhar para ontem, para hoje e para o amanhã.

 

        Descanse em paz, Rodrigo; e todos os demais, que nesse momento partem e deixam saudades.

 

 

        

 

      

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:39


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

subscrever feeds



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho