Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Por que algumas pessoas não conseguem fazer amor?

por Keila, a Loba, em 03.12.10

A TRIBO DOS ASSEXUADOS

  

   

 

Michael Doré tem 28 anos e nunca beijou. Nem pretende. Beijos, carinhos e qualquer forma de contato íntimo lhe causam repulsa. “O sexo me enoja”, diz. “Sou um assexual convicto.”  É quase impossível imaginar que um cara como ele, charmoso, bem-sucedido — é um matemático norueguês e PhD da Universidade de Birmingham, na Inglaterra —, sequer pense em transar. Ainda mais nos dias de hoje, em que sexo e orgasmo são quase uma obrigação. E, antes que você se pergunte o que há de errado com Michael, ele mesmo responde: “Não, não sou gay, não fui abusado na infância, nem tenho problemas hormonais. Eu simplesmente não gosto de transar”.

 

Assim como ele, a pedagoga mineira Rosângela Pereira dos Santos, o bancário americano Keith Walker e uma legião de assexuados dos mais diferentes cantos do planeta começam a sair do armário. São homens e mulheres de todas as idades, perfeitamente capazes de fazer sexo, mas sem nenhum apreço pela coisa. Gente que, graças ao apoio da Aven (Asexual Visibility and Education Network), rede que luta pela visibilidade dos assexuados no mundo, conseguiu se unir para levantar a bandeira da abstinência e lutar para que a assexualidade seja reconhecida como uma quarta orientação sexual (além de héteros, homos e bissexuais).

 

  

7% das mulheres e 2,5% dos homens

garantem viver perfeitamente sem sexo,

segundo dados da Organização Mundial

de Saúde

 

  

“Por assexual entende-se apenas aquele que não sente atração sexual, não o que não é capaz de se envolver”, explica a socióloga Elisabete Oliveira, que fez do assunto tema de seu doutorado na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. “Existem os assexuais românticos e os não românticos. O primeiro grupo consegue se apaixonar, casar e até ter filhos — desde que não haja sexo envolvido. O segundo não gosta de carinhos e não se sente apto a se apaixonar.” A libido é uma energia vital que pode ser canalizada para o trabalho.

  

Esses dois grupos também podem ser classificados como libidinosos ou não. “Ser assexual não significa, necessariamente, não ficar excitado”, afirma o bancário americano Keith Walker, 37 anos. “Muitos de nós se masturbam, mas não estabelecem relação entre isso e o sexo. É apenas uma maneira de relaxar e aliviar o stress”, diz. Segundo a psicóloga paulista Tânia Mauadie Santana, hoje é comum que a energia que antes era sexual seja canalizada para outras áreas da vida. “A libido é uma energia vital, o que não necessariamente se manifesta só nos órgãos sexuais. O desejo pode ser direcionado para o trabalho, a comida e as atividades físicas”, diz.

  

  

 

 

 

 

No Brasil, 9% das mulheres não acham o sexo importante para o casamento.

 

Com as recentes investidas no chamado Viagra feminino — comprimido à base de flibanserina que promete devolver a libido à mulher que a perdeu e apresentá-la a que nunca teve —, a comunidade médica tem falado muito em “desejo sexual hipoativo”. O termo, catalogado há mais de 30 anos pela Organização Mundial da Saúde como uma “disfunção sexual”, tem conotação pejorativa para assexuados, que, com razão, não querem ser vistos como doentes. “Quem pratica sexo costuma ter humor melhor, pois o ato libera hormônios de ação antidepressiva. Mas a falta dele não chega a ser um problema de saúde. Ninguém vai morrer por isso”, afirma Tânia Santana. Segundo o psiquiatra Alexandre Saadeh, a assexualidade só requer tratamento quando gera sofrimento. “Se a falta de desejo ou o excesso dele impedir alguém de ser feliz, aí, sim, deve-se falar em tratamento. Caso contrário, não há por quê”, afirma o médico.

 

Freud tentou explicar.

Desde Sigmund Freud (1856-1939) a ciência tenta explicar as conexões entre a sexualidade e o bem-estar físico e mental. Quando o pai da psicanálise escreveu seu ensaio sobre ansiedade e neurose, em 1895, dando uma ênfase até então inédita à sexualidade, choveram críticas. Freud achou melhor rebatê-las em um outro artigo, no qual foi ainda mais enfático no que tange a sexualidade.

 

Freud escreveu: “Muitas doenças mentais e as fobias, em especial, não ocorrem quando a pessoa leva uma vida sexual normal”. Sobre a pedra fundamental das análises de Freud ergueu-se um monumental edifício de estudos da sexualidade e de seu impacto sobre outras dimensões vitais do ser humano.

Agora os médicos investigam como as carências sexuais podem produzir doenças físicas e psicológicas e, por outro lado, como determinadas doenças afetam o desempenho e a satisfação sexual. O que se sabe é que as depressões, os problemas cardíacos e circulatórios e o diabetes são doenças com impacto direto sobre a sexualidade. (ACB)

  

 

O tema ainda desperta pouco interesse em pesquisadores

 

O assexualismo é bem diferente do celibato, que implica decisão consciente de sufocar os desejos sexuais. Um dos poucos estudos publicados sobre assexualismo – definido como falta duradoura de atração sexual por homens ou mulheres –, os pesquisadores constaram que 1,1% dos adultos podem ser assexuados. O número foi extraído de uma pesquisa com 18 mil britânicos entrevistados sobre doenças sexualmente transmissíveis. Os dados foram analisados posteriormente por Anthony Bogaert, psicólogo da Universidade Brock, em St. Catharines, Canadá, que publicou suas conclusões no “The Journal of Sex Research”.

 

Bogaert concluiu ainda que 44% das pessoas que não expressavam interesse em sexo estavam casadas ou viviam com parceiros, ou já haviam passado por esse tipo de relacionamento no passado.

 

Contudo, dados da Organização Mundial da Saúde apontam um número bem superior. Cerca de 7% das mulheres e 2,5% dos homens garantem viver bem sem qualquer atividade sexual.

 

 

 

 

Pesquisa

http://www.msja.com.br/noticias/os-assexuados-conheca-a-tribo-que-defende-o-direito-de-nao-transar

 

http://www.otempo.com.br/jornalpampulha/noticias/?IdEdicao=150&IdCanal=20&IdSubCanal=&IdNoticia=4545&IdTipoNoticia=1

 

http://lanhousedopurgatorio.wordpress.com/2008/09/17/os-20-mandamentos-assexuados/

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:41


12 comentários

Sem imagem de perfil

De Pimentinha Brasileira a 03.12.2010 às 11:46

Cada qual tem cada coisa! Ha quem desgoste da fruta e isso é mutio estranho porque o que faz as pessoas humanas é o contato. Mas cada qual sabe o que faz e porque faz.
Sem imagem de perfil

De Cirilo a 03.12.2010 às 22:01

É uma viagem tudo isso! Muito bom o seu blog.
Sem imagem de perfil

De lobo a 04.12.2010 às 18:37

Respeito o modo de ser das pessoas, e sou até capaz de compreender o que passa alguém que não sente desejo e necessidade do toque, do amor e da intimidade, porém, lamento que essas pessoas vivam sem a beleza que é o outro. Muito interessante, amiga lupina. Confesso que nunca havia parado para pensar nesse assunto.
Sem imagem de perfil

De Marcia a 05.12.2010 às 00:27

Estou tentando blogar novamente, e por isso espero receber a visita dos seres encantados para ter inspiração.

Conto com a sua visita loba.

Bjos
Ma)O(
Sem imagem de perfil

De Danilo a 05.12.2010 às 19:03

Navegando por ai achei seu blog. Surpresa boa. Vou segui-lo a partir de agora. Quando tiver um tempinho, vá visitar meu blog também, o Genizah.

A paz!

Danilo
Sem imagem de perfil

De Disney scream a 05.12.2010 às 20:45

Olá gente, amei aqui. Aceitam parceria? Me repondam no meu mural de recados Abração!


Disney scream
Sem imagem de perfil

De Zezinho Mota a 06.12.2010 às 11:38

Há tanto tempo que estamos ausentes e reencontrei-te agora.

Espero que estejas bem.

Boa semana.

ZezinhoMota
Sem imagem de perfil

De ILMANO a 08.12.2010 às 17:56

É... TEM GENTE PRA TUDO LOBA.
Sem imagem de perfil

De Nilson Barcelli a 09.12.2010 às 19:42

Respeito, mas sinceramente não percebo...
Acho que as pessoas normais até a dormir não são assexuadas...
Não conhecia este movimento. Mas aprendo sempre muitas coisas contigo...
Beijos, querida amiga.
Sem imagem de perfil

De Arruda Bastos a 09.12.2010 às 20:15

Venha fazer parte da caravana de combate a dengue. É fácil! Vá ao blog do Arruda Bastos e saiba como participar.

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho