Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Até onde somos capazes de ir e o que somos capazes de fazer por dinheiro?

por Keila, a Loba, em 20.11.11

 

        Recebi um folder de uma empresa de turismo no qual estão sendo apresentadas 5 opções de viagens de turismo de alto luxo, sendo todas as opções a partir de R$ 12.000,00. Li todos os roteiros, sonhei com a possibilidade de ver de perto as pirâmides do Egito, os templos de Angkor, o Taj Mahal, o mercado de tapetes persa...  Queria viajar imediatamente para todos os destinos propostos, mas não consegui encaixar financeiramente meu padrão econômico para a realização do que estavam me propondo.  Enfim, há lugares em que nosso bolso não deixa caber nossos sonhos.  

 

 

 

        Fiquei pensando em como devem se sentir as pessoas milionárias, quando quase nada na vida as priva de realizarem o que desejam. Pensemos no jogador Neymar, que ganha 1,6 milhões mês.... Qual a percepção e relação do jogador Neymar com os objetos que fazem da vida dele um luxo? Como uma pessoa milionária consegue – e se consegue - separar dinheiro do amor? Quais os temores que trazem infelicidade à vida de um milionário? Será que pessoas ricas demais apresentam o mesmo nível de disfunção de alguém pobre demais, sendo esses sintomas ao contrário? Enquanto os pobres se concentram apenas nas ausências materiais visíveis em suas vidas, será verdade que quem é rico demais foca quase sempre suas próprias necessidades, e se desliga completamente das coisas que acontecem ao seu redor?

 

        Como disse Mahatma Gandhi, "A diferença entre o que nós fazemos e o que somos capazes de fazer seria o suficiente para resolver a maioria dos problemas do mundo." Se for verdade que cada um de nós tem um preço, uma valia, pensando franca e sinceramente: o que somos capazes de fazer por dinheiro?

 

 

        A moeda, como hoje a conhecemos, é o resultado de uma longa evolução. No início não havia moeda. Praticava-se o escambo, que era a simples troca de mercadoria por mercadoria, sem equivalência de valor. Alguns historiadores dizem que as primeiras moedas sugiram na Lídia, atual Turquia. Mas há controvérsias.

 

 

 

        Para Carl Menger, fundador da Escola Austríaca de Economia, não há qualquer registro histórico sobre quem criou o dinheiro, tampouco em quais circunstâncias, mesmo com o dinheiro tendo sido utilizado por todas as civilizações antigas. Menger diz ainda que é improvável que alguém tenha inventado a ideia de dinheiro sem antes ter vivenciado essa ideia. E, terceiro, mesmo se estipulássemos que um governante pode de fato ter tido a ideia de dinheiro enquanto vivia em um estado de escambo puro, e que esse governante tenha de fato designado qual bem serviria de dinheiro, isso ainda não seria suficiente (http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=209).

 

 

        Psicologicamente o dinheiro é sentido como a alavanca de um sonho que gostaríamos de efetuar, assim sendo, seu caráter é totalmente futurista, contribuindo para o incremento do poder do tempo sobre o prazer do indivíduo, ressecando por completo a vitalidade da pessoa, que sempre só pode existir no presente. Já está mais do que na hora de percebermos que o dinheiro é o confidente mais preciso de nossa alma e espelha todas as partes não resolvidas de nossa personalidade; sendo uma espécie de terapeuta que conhece as entranhas de um ser humano, porém, é o mais passivo e omisso em relação a uma atitude de resolução. Um dos instrumentos de aferição da saúde psíquica é exatamente a relação da pessoa com o dinheiro.

 

 

        Freud analisou o desenvolvimento psíquico do dinheiro. Chegou a conclusão que a primeira experiência psicológica de valor para uma criança era o treino do toalete. Assim sendo, as fezes tinham uma conotação de apego para a criança, sendo que a mesma ainda fantasiava inconscientemente que os bebês nasciam através da defecação. Embora tal aparato seja um tanto complicado de ser aceito pelo leigo, o fato é que tal assertiva tem o seu mérito na questão do desenvolvimento do processo mental de retenção e acúmulo.

 

 

A noção de riqueza ou miséria nada tem a ver com o dinheiro para o inconsciente humano, e buscar nossa categoria social no plano mental seria a chave para uma análise mais profunda de nossa alma. Não que toda pessoa que possua o dinheiro seja um miserável emocionalmente, mas perceber que nossa mente reproduz o sistema vigente de estratificações sociais é no mínimo fugir da ignorância pessoal. Qual é o equilíbrio razoável em relação ao dinheiro? Acumular gananciosamente, fazendo da mesquinhez a distração diária para nossa mente? Permitir ser explorado pelas pessoas que culpam e invejam quem possui o dinheiro? Gastar ou reter compulsivamente, se enchendo de dívidas, ou a sensação de reconforto ao ver o extrato bancário? Acreditar que o dinheiro pode ajudar alguém que desconhecemos se em outras instâncias seja merecedor de apoio? Todas estas perguntas todos se fazem quase que diariamente, possuindo ou não dinheiro. O centro da questão é se o mesmo representa o instrumento para algo que desejamos, ou a revanche contra o que sentimos que perdemos e jamais iremos recuperar, mas mesmo assim alimentamos constantemente a dita ilusão (http://antonioaraujo_1.tripod.com/psico1/portugues/dinheiro/dinheiro.html).

 

 

         Pois é, amigos, o capital nos persegue. Afinal, até onde somos capazes de ir e de fazer por dinheiro? Eu estou pensando... Espero que você faça o mesmo.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:03


16 comentários

Sem imagem de perfil

De O Arabe a 21.11.2011 às 13:01

O post está ótimo, Keila! Só me permita atualizar: atualmente, o Neymar ganha 3 milhões por mês. Melhorou um pouco, não é? :) Boa semana, amiga!
Sem imagem de perfil

De lobo a 22.11.2011 às 21:33

Fiquei pensando nesse valor e não consegui descobrir, em cash, qual seria o meu. No mercado humano quanto vale um homem de meia idade, solteiro, desiludido, coração partido, dois filhos, um trabalho razoável, professor, barbado, sonhador e romântico? Difícil de responder, Loba. Eu gsotei de ler as informações aqui.
Sem imagem de perfil

De ZÉ a 26.11.2011 às 16:33

Neymar q se f…. Sério, é muito falta de assunto… Dia e noite falando desse mu ele q perdeu o carrinho de papel?? PQP!!!!!
Sem imagem de perfil

De mandy a 26.11.2011 às 17:21

inveja mata....
Sem imagem de perfil

De Nilson Barcelli a 26.11.2011 às 18:53

O dinheiro não é tudo na vida, mas ajuda muito...
Mas, quem o tem em excesso, acho que nem goza a vida direito. Mas gostava de experimentar ter o dinheiro do Neymar para confirmar... rsrs...
Querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijos.
Sem imagem de perfil

De O Arabe a 28.11.2011 às 12:53

Boa semana, amiga. Aguardo o novo post! :)
Sem imagem de perfil

De aluisio cavalcante jr a 02.12.2011 às 22:50

Querida amiga

O dinheiro quando bem
utilizado transforma o mundo.

Mas penso que vivemos um tempo doente.
Não entendo como um jogador de futebol,
ganha mais que um médico...
Que um político mais que um professor...

Assim produzimos uma geração
de semi deuses,
que tudo podem,
e outra que sonha atingir este estado.

Assim, valores se perdem.
A vida se perde...
Os sentimentos se perdem...

O que é uma pena...
Uma grande pena...


Alegrias plenas
para ti,
e para o mundo.
Sem imagem de perfil

De nadja a 13.12.2011 às 20:32

Oie vidinha pow que saudades te perdi ...mas te achei novamente kkkkkkkkkkkkkk ...e ai tudo bem com vc kiida..comigo tudo bem...nossa ser milionário ..queria ñ viu kkkkkkkk...é bom ter dim dim .mas muito ñ kkkk será que eles são felizes...acho que ñ em ..bem amada já estou em clima natalino ...aparece viu beijus !!!
Sem imagem de perfil

De O Arabe a 20.12.2011 às 00:35

Boa semana, Keila. Fezlia Natal! :)
Sem imagem de perfil

De O Arabe a 20.12.2011 às 00:37

Boa semana, Keila . Feliz Natal! :)

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D



Há quem observa com atenção, senta, e se interessa em saber quem sou.


Blog Brasileiro, do Ceará para o Mundo


Adoro ouvir o barulho da chuva batendo no telhado, tomar banho de cachoeira, observar os pássaros, cuidar de animais, conversar com pessoas, aprender, rir à toa, ouvir música e viajar.
Transito livremente no mundo dos contos, da fantasia, da intuição, e às vezes dos exageros.
Gosto de pessoas com coração e olhos de poeta.
Pisciana, com ascendente em escorpião.
Mulher de Netuno, arquétipo água: mutável, humanista, idealista, sonhadora; aparentemente passiva, mas extremamente reacionária, autoritária, insegura e adaptável.
Mãe da Fernanda e da Camilla, casada com o Fernando.
Terapeuta ocupacional, estudante de psicologia.

Image Hosted by ImageShack.us

Uma eterna peregrinação...
Programa Reviver
Jaqueline Sales


CLIQUE PARA OUVIR


Quantos me visitam...









Uma cidadã lupina no mundo e do mundo



Guest-Book
Image Hosted by ImageShack.us
Livre D'or




Nada é permanente, a não ser a mudança


Uploaded with ImageShack.us
Nascer
Crescer
Aprender
Viver
Mudar
Sofrer
Amar
Morrer
Começar tudo de novo...
Até saber quem somos e a que viemos



A vida em imagens


.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•☆ Infinita e Impermanente como a vida, são as imagens.... ☆.¸¸.•*´¨`*•.¸¸.•




Obrigada pela sua visita!

☆≈≈≈Cinderela, mascote dos Uivos da Loba≈≈≈☆


Jaqueline Sales Sales

Criar seu atalho